10 de maio, 2024 10h05m ESPECIAL ENCHENTES por Redação Integrada Rádio Cidade de Ibirubá e Jornal O Alto Jacuí

Caminhoneiros enfrentam desafios em Ibirubá devido às enchentes no RS

'Temos sorte de estar aqui, com internet, banheiro e mercado por perto. Tem gente em situação muito pior", reflete um dos caminhoneiros.

No posto da Cotribá, localizado às margens da ERS 223, a vida dos caminhoneiros se vê temporariamente estagnada devido às recentes enchentes que assolaram o Rio Grande do Sul. Seis caminhoneiros, provenientes de diferentes regiões, se instalaram no pátio aguardando ansiosamente pela liberação das estradas afetadas pelas intempéries naturais.

Desde terça-feira (30), esses trabalhadores permaneceram estacionados, impedidos de prosseguir viagem devido à impossibilidade de andar pelas estradas intransitáveis. Em segurança e com uma estrutura bem montada no posto, eles aguardam pacientemente que a situação se normalize para que possam seguir viagem, entregar suas cargas e, finalmente, voltar para suas famílias.
Um dos caminhoneiros, Elizandro Inério, natural de Bom Retiro do Sul, relata a incerteza que paira sobre eles: "Estamos aguardando o que será feito a respeito de nossa carga. Ainda não houve decisão sobre transferi-la para outro local. Optamos por parar aqui para não ficar sem condições." A vida de um caminhoneiro, como ele descreve, requer paciência, pois é comum ter que esperar para carregar e descarregar mercadorias, mesmo em circunstâncias adversas.
As enchentes não apenas afetaram suas rotas de viagem, mas também os deixaram impotentes diante da situação das comunidades locais. Gustavo Cazara, de Encantado, expressa sua frustração por não poder ajudar mais: "É uma sensação horrível. Tu fica com as mãos amarradas, o coração lá, cabeça aqui. Às vezes a gente até agradece por todos estarem bem, mas dá uma revolta."
Apesar das dificuldades, os caminhoneiros mostram resiliência e solidariedade. Eles improvisaram uma estrutura no posto, incluindo uma barraca para se abrigar da chuva, e se revezam na preparação das refeições. "A gente se reúne, cada um faz uma coisa. Estamos bem equipados e não passamos necessidade", diz Ademir Lutz, de São Vendelino.
Além da incerteza em relação às estradas e às cargas, muitos estão preocupados com suas famílias, especialmente aqueles cujas casas foram afetadas pelas enchentes. "Minha namorada teve a casa atingida pela terceira vez. É complicado estar longe nessas horas", lamenta Claiton Leandro da Silva, de Triunfo.
Enquanto aguardam a liberação das estradas, esses trabalhadores se mantêm unidos, compartilhando histórias, preocupações e esperanças. Eles sabem que, eventualmente, poderão retomar suas jornadas, mas até lá, permanecem firmes, enfrentando os desafios com coragem e determinação.
No entanto, mesmo com a solidariedade entre eles, os caminhoneiros não deixam de pensar naqueles que estão em situações ainda mais precárias. "Temos sorte de estar aqui, com internet, banheiro e mercado por perto. Tem gente em situação muito pior", reflete Douglas Henrique Follmer, de Triunfo.
Os seis caminhoneiros partiram na terça-feira (07) para seus destinos, e certamente levarão a experiência vivida em Ibirubá na memória para o resto da vida.

Publicidade

Notícias relacionadas

Lions Clube de Ibirubá celebra condecorações históricas em noite memorável

Durante a cerimônia, o governador Renato Moreira enfatizou a relevância dos prêmios Melvin Jones e Master Key

14 de junho, 2024

Publicidade

Banca Virtual Edição Digital

Principais categorias