21 de junho, 2024 09h06m Agronegócio por Redação Integrada Rádio Cidade de Ibirubá e Jornal O Alto Jacuí

Queijos Terra das Águas: tradição e qualidade de agricultura familiar

Entre os produtos, destacam-se o queijo colonial, queijo colonial maturado, e queijos temperados com orégano, adobo e pimenta, além do queijo coalho

Os queijos Terra das Águas, feitos pelos associados da Coopeagri, são mais do que um produto de qualidade; representam a história de uma família que transformou um desafio em uma oportunidade de negócio sustentável e respeitado na região. Com um compromisso inabalável com a qualidade e a tradição, os queijos Terra das Águas continuam a conquistar paladares e corações por onde passam.

A origem dos queijos Terra das Águas remonta a 2017. Em um período de adversidade durante a greve dos caminhoneiros o casal Tatiane Horst Niendicker e Jonas Maier, juntamente com seu filho Gustavo Niendicker Maier, encontraram uma forma criativa de evitar o desperdício do leite de sua propriedade: começaram a produzir queijos caseiros na garagem de casa. Com um fogão industrial pequeno, uma geladeira usada, uma prensa e algumas formas, deram início ao que se tornaria uma referência em queijos artesanais na região.
A produção dos queijos Terra das Águas é diversificada. Entre os produtos, destacam-se o queijo colonial, queijo colonial maturado, e queijos temperados com orégano, adobo e pimenta, além do queijo coalho. O mais popular entre os consumidores é o queijo colonial, vendido com 10 dias de cura, ideal para ser consumido em sanduíches e torradas no café da manhã. Este queijo foi desenvolvido de acordo com as preferências dos clientes, adaptando-se ao paladar local com ajustes na quantidade de sal e na textura.
O processo de produção é rigoroso e inicia-se com a pasteurização do leite para eliminar qualquer bactéria ou contaminação. Em seguida, são adicionados os produtos para coagulação, e a massa resultante repousa por uma hora. Após a retirada de 30% do soro, a massa é cozida com adição de sal, prensada e deixada na câmara de maturação por 10 dias antes de ser embalada e rotulada. A atenção aos detalhes e a dedicação em cada etapa garantem a qualidade superior dos queijos.
Apesar do sucesso, a produção enfrenta desafios significativos. A principal dificuldade está na falta de mão-de-obra suficiente para acompanhar a demanda crescente. Com apenas três pessoas na equipe, a organização dos horários de trabalho é crucial. Outro desafio é a competição com grandes empresas que oferecem preços mais baixos.
Os queijos Terra das Águas podem ser encontrados em diversas localidades, incluindo Santa Clara do Ingai, Quinze de Novembro, Fortaleza dos Valos, Cruz Alta, Selbach, Tapera, Espumoso e Ibirubá, também pode ser adquirido na feira da Coopeagri que acontece todas as terças-feiras, quintas-feiras e aos sábados. A qualidade e segurança dos produtos são os principais diferenciais desta agroindústria, que se dedica diariamente para entregar um produto saboroso e que fidelize os clientes.
A empresa se orgulha de trabalhar com agricultura familiar. Todo o leite utilizado na produção é obtido na própria propriedade, onde os animais passam por rigorosos controles de sanidade e nutrição. Tatiane, Jonas e Gustavo planejam continuar estudando e aprimorando suas técnicas de produção e gestão, com o objetivo de aumentar a produção de forma organizada e sustentável. Atualmente, estão fazendo um curso de gestão para melhorar o controle de custos e planejam, no futuro, aumentar a produção, adquirir novos equipamentos e eventualmente contratar funcionários.
O reconhecimento e sucesso dos queijos Terra das Águas trazem um sentimento de orgulho e realização para a família. O progresso foi rápido e significativo: de uma produção inicial de 5 kg por mês, passaram a produzir 700 kg. A satisfação de ver clientes retornando e recomendando os produtos é uma recompensa pelo esforço e dedicação de todos os envolvidos.

Ascom Coopeagri 
 

Publicidade

Notícias relacionadas

Extensão rural em foco: panorama da safra de soja 23/24 e bacia leiteira regional

A análise de Oneide Ernesto Kumm oferece uma visão abrangente da situação atual da safra de soja em Ibirubá

29 de abril, 2024

Publicidade

Banca Virtual Edição Digital

Principais categorias