01 de março, 2024 09h03m Cotribá por Redação Integrada Rádio Cidade de Ibirubá e Jornal O Alto Jacuí

Uma viagem ao sul do cooperativismo a bordo da caravana dos conselheiros da Cotribá

Grupo de 36 pessoas viajou até o extremo sul do estado para conhecer a estrutura e o legado da Cotribá na região

Uma caravana de 36 conselheiros da Cotribá embarcou em uma jornada pelo sul do estado, explorando desde Santa Vitória do Palmar até Aceguá. O objetivo era conhecer de perto a estrutura e o impacto da cooperativa na região. Ao longo dessa viagem, diversas descobertas foram feitas, destacando o compromisso da Cotribá com o crescimento dos produtores locais.

Celso Leomar Krug, presidente da Cotribá, expressou seu contentamento com a performace e destacou a importância de expandir para atender às demandas dos produtores da região sul. A estrutura completa da Cotribá em Arroio Grande, incluindo graneleiros, loja, escritório e auditório, é um reflexo do compromisso com o crescimento dos agricultores locais. "A estrutura que nós montamos vai ao encontro do crescimento dos produtores dessa região. Eu acho que esse é o objetivo desta unidade, uma unidade com capacidade para 800.000 sacas de soja", destaca o presidente. Ele também ressalta a unidade alugada de uma multinacional que agrega mais 700.000 sacos à capacidade total. Krug relembra os primeiros passos da Cotribá na região, em 2010, quando a estrutura atual era apenas campo e gado. A visão de potencial nesse território foi confirmada ao longo dos anos, e a Cooperativa tem investido continuamente para atender às demandas da crescente produção local.
A expansão não se limita a Arroio Grande. O presidente compartilhou a aquisição de uma área em Arroio dos Ratos, projetando o futuro da cooperativa. A iniciativa reflete o princípio de que a cooperativa cresce à medida que os associados demandam.
Uma estrutura comprometida com o desenvolvimento local
Enio Cezar Moura do Nascimento, vice-presidente da Cotribá, expressou satisfação com as parcerias sólidas e os investimentos realizados, destacando o papel da cooperativa na geração de riqueza, distibuição de renda e desenvolvimento tecnológico de uma parte do estado que era carente no aspecto do cooperativismo. "Pergunte para os prefeitos se eles estão satisfeitos com a entrada da Cotribá nessa região, e a resposta certamente será em forma de gratidão por tudo o que trouxemos para desenvolver o agronegócio'', analisa Enio.  
Porto do Cooperativismo
No Porto de Rio Grande, os terminais Termasa e Tergrasa, gerenciados pela CCGL, desempenham um papel crucial na exportação de grãos. Durante a visita dos conselheiros, a magnitude desse processo foi revelada. Guillhermo Dawson, superintendente dos terminais, enfatizou a importância da estrutura para o agronegócio."Os terminais movimentam cerca de 50 a 55% de todo o volume de grãos do Rio Grande do Sul, desempenhando um papel vital na exportação."
Dawson conclui: "A presença ativa das cooperativas - em especial da Cotribá, é um testemunho do compromisso em impulsionar o desenvolvimento econômico e agrícola da região."
Santa Vitória do Palmar: Cotribá impulsiona crescimento nas lavouras de soja
Na ponta de baixo do RS uma cidade se destaca pelo potencial em abrir novas áreas para o cultivo de soja. Em Santa Vitória do Palmar, a Cotribá tem desempenhado um papel crucial no crescimento das lavouras. O gerente das unidades da região Sul, Jonas Frankenberger é natural de Ibirubá e assumiu esse compromisso a 8 anos. Desde então  lidera a transformação que a Cotribá propõe aos agricultores, seja aquele castigado por crises na cultura do arroz ou aqueles desconfiados com empresas que abandonaram os produtores, deixando uma herança de dívidas e prejuízos. ''Nosso trabalho é construir laços de confiança e respeito com os clientes e parceiros. A Cotribá veio para ficar'', expressa. 
História de Adriano Ulrich: transformando campos em prosperidade
Adriano Ulrich, um exemplo de transformação, compartilhou sua jornada em Jaguarão. Ele e os irmãos se mudaram da região de Victor Graeff para o sul do estado há 16 anos, em busca de áreas maiores para a plantação. Ele lembrou a dificuldade na época, quando foi necessário passar a grade nos campos e apostar em algo que sonhavam para transformar a realidade da família. As terras eram abundantes e e acessíveis na região, oferecendo uma perspectiva diferente para o cultivo de soja. Apesar das diferenças nos solos, clima e manejo, a adaptação às peculiaridades locais tem sido bem-sucedida, com produtividades que giram em 50 sacas/ha em média. Como o custo de manejo é menor, Adriano celebra os resultados, e orgulhoso apresenta a estrututa de galpões, maquinários e moradias compradas com o resultado das safras. Sobre a parceria com a cooperativa, Adriano elogia: "Depois que a Cotribá chegou, melhorou muito para nós. Temos um recebimento ágil e assistência, principalmente no recebimento. Hoje, eu puxo tudo com meus caminhões, não tem mais a necessidade de contratar caminhão." 
Assistência técnica, estrutura de recebimento e negociação facilitada, pilares oferecidos pela Cotribá que transformaram a realidade dos agricultores do Sul do Estado.

Publicidade

Notícias relacionadas

Vem aí o 11º Show Agro e a comemoração dos 60 anos da Vence Tudo

Programação será de cinco dias e deverá reunir mais de 10 mil pessoas do Brasil e do mundo em Ibirubá/RS

16 de fevereiro, 2024

Publicidade

Banca Virtual Edição Digital

Principais categorias