31 de maio, 2024 09h05m IFRS IBIRUBÁ por Redação Integrada Rádio Cidade de Ibirubá e Jornal O Alto Jacuí

Greve nas universidades e institutos federais impacta o IFRS de Ibirubá

Ressalta-se que a suspensão não implica no cancelamento do calendário acadêmico

A greve é uma resposta à falta de diálogo e ao descaso com as necessidades dos servidores e estudantes. A situação em Ibirubá reflete um cenário nacional de insatisfação e luta por melhores condições de trabalho e estudo.

As Universidades Federais e os Institutos Federais seguem em greve, afetando 59 universidades federais e 560 unidades da rede federal de educação. Em Ibirubá, o IFSul também aderiu à greve e está paralisado desde o dia 15 de Abril, causando preocupação entre pais e alunos, que terão que recuperar as aulas perdidas durante a paralisação.
A greve foi motivada por uma série de reivindicações dos servidores, entre elas a recomposição salarial, a reestruturação da carreira dos técnicos administrativos, a ampliação dos orçamentos dos institutos e a revogação de portarias do governo anterior que ferem a autonomia da educação federal.
Raquel Lorenzini Alberti, professora e membro do comitê de greve do Campus Ibirubá, explicou a situação: "Nossa greve é nacional e foi construída coletivamente pelos sindicatos da educação desde o ano passado. Nossa pauta está fundamentada em quatro pontos principais: recomposição salarial, reestruturação da carreira dos técnicos administrativos, ampliação dos orçamentos e a revogação de portarias que ferem a autonomia da educação federal. Nos governos de Temer e Bolsonaro, não houve nenhuma reposição salarial, ficando sem aumento por todo esse período. Não estamos pedindo aumento salarial, mas sim a reposição da inflação."
Luiz Felipe Kopper da Silva, também do comitê de greve, comentou sobre as dificuldades enfrentadas pelos servidores: "Quando entrei na carreira em 2012, o piso equivalia a 2,8 salários mínimos; hoje é praticamente um salário e meio. Além disso, enfrentamos cortes no orçamento que dificultam a manutenção da qualidade de ensino, afetando desde a compra de insumos para laboratórios até a atualização de bibliotecas. A cada ano, o orçamento é encurtado, e temos que sobreviver com recursos insuficientes para manter nossa infraestrutura."
Silvani Lopes Lima destacou a importância da assistência estudantil: "As bolsas de assistência são fundamentais para os alunos do ensino médio integrado, que não conseguem trabalhar fora devido à carga horária integral. Com o orçamento encurtado, estamos vendo uma redução significativa na assistência estudantil, o que ameaça diretamente a permanência dos alunos. Sem esse apoio, muitos estudantes não terão condições de continuar seus estudos aqui."
A professora Raquel complementou sobre a infraestrutura dos institutos: "Precisamos de melhorias em nossas infraestruturas, como laboratórios, ar condicionado, materiais para pesquisa, ampliação de espaços e compra de equipamentos. A situação é crítica, e muitas aulas práticas não podem ser realizadas devido à falta de insumos. Além disso, nosso micro-ônibus está desativado por falta de motorista, prejudicando as visitas técnicas que são essenciais para a formação dos nossos alunos."
A greve é uma resposta à falta de diálogo e ao descaso com as necessidades dos servidores e estudantes. A situação em Ibirubá reflete um cenário nacional de insatisfação e luta por melhores condições de trabalho e estudo. "A educação não pode ser tratada de forma esparsa; precisamos de um projeto consistente para o país", concluiu Raquel.
A gestão do campus assegurou o pagamento das bolsas de ensino, pesquisa, extensão e indissociáveis, além da manutenção dos serviços essenciais à Instituição, em conformidade com a legislação vigente. Ressalta-se que a suspensão não implica no cancelamento do calendário acadêmico, sendo que as atividades letivas serão recuperadas quando a greve for finalizada.
 

Publicidade

Notícias relacionadas

LFCC de Ibirubá realiza chá beneficente para escolher novas Glamour Baby, Infantil e Infanto Juvenil

No próximo dia 2 de junho, o Salão Católico de Ibirubá será palco para mais uma edição do tradicional chá beneficente organizado pelo Lions Clube de Ibirubá (LFCC).

31 de maio, 2024

Publicidade

Banca Virtual Edição Digital

Principais categorias