07 de junho, 2024 09h06m Agronegócio por Redação Integrada Rádio Cidade de Ibirubá e Jornal O Alto Jacuí

Enchentes em maio causam perdas milionárias para produtores rurais do RS, segundo Farsul

Os dados revelam perdas tanto em grandes quanto em pequenas propriedades

A Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (Farsul) divulgou dados sobre os impactos econômicos das enchentes de maio de 2024, revelando prejuízos significativos em propriedades rurais de todos os tamanhos. Em coletiva de imprensa, liderada por Gedeão Pereira e outros representantes, foram apresentados números alarmantes.

A Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (Farsul) divulgou nesta segunda-feira (27/05) dados sobre os impactos econômicos das enchentes que devastaram o estado durante o mês de maio de 2024. As informações foram apresentadas em uma coletiva de imprensa que contou com a participação do presidente do Sistema Farsul, Gedeão Pereira, do economista-chefe Antônio da Luz, da representante do movimento S.O.S Agro, Graziele de Camargo, e do 1º vice-presidente, o ibirubense Elmar Konrad. Os dados revelam perdas tanto em grandes quanto em pequenas propriedades. Algumas grandes propriedades relataram perdas que chegam a R$ 25 milhões, enquanto perdas em propriedades médias variam entre R$ 100 mil e R$ 5 milhões. Pequenas propriedades também sofreram, com prejuízos na faixa de R$ 10 mil a R$ 100 mil. No total, a soma dos prejuízos relatados pelos 347 produtores rurais pesquisados atinge R$ 467.680.550,50, com uma média de R$ 1.391.906,40 por produtor. As áreas de cultivo abrangem 33.649 hectares, com destaque para a soja (15.470 hectares), arroz (4.495 hectares) e trigo (2.100 hectares). A pecuária também foi afetada, com um total de 23.615 animais, dos quais 94% são bovinos. As enchentes causaram danos consideráveis às plantações de soja. Dos 15.470 hectares cultivados, 53% foram afetados por grãos ardidos, 20% por grãos brotados, 15% por grãos podres, 7% por grãos germinados e 5% apresentaram umidade acima do normal. A situação financeira dos produtores também é preocupante. O total de endividamento por custeio entre os produtores entrevistados é de R$ 249.100.000,00, com uma média de R$ 415.166,67 por produtor. Gedeão Pereira destacou a gravidade da situação: "Os produtores rurais não estão sofrendo só nesta safra. O Estado vem de duas quebras de safras, e a enchente é a pá de cal em cima do produtor rural gaúcho. O que nós precisamos são de medidas excepcionais". Antônio da Luz reforçou a dificuldade de se ter uma dimensão exata do prejuízo, mencionando que muitos produtores ainda não conseguiram acessar suas propriedades para avaliar os danos.

Publicidade

Notícias relacionadas

Fetag-RS promove conexão entre produtores e federação em Ibirubá

Projeto Fetag-RS em Conexão reúne agricultores familiares de Ibirubá para discutir desafios e potencialidades do setor

22 de abril, 2024

Publicidade

Banca Virtual Edição Digital

Principais categorias