10 de maio, 2024 10h05m solidariedade por Redação Integrada Rádio Cidade de Ibirubá e Jornal O Alto Jacuí

Depoimento de Lia Timann revela caos e solidariedade vividos no Vale do Taquari

Ex-gerente da Corsan de Ibirubá compartilha experiências marcantes durante estadia na região afetada pelas fortes chuvas.

A estadia de Lia Timann em Estrela, entre os dias 29 de abril e 5 de maio, durante as intensas chuvas que assolaram o Rio Grande do Sul, proporcionou uma visão ampla dos desafios e da solidariedade emergente nas comunidades afetadas. Como ex-gerente da Corsan de Ibirubá, Lia se viu no epicentro da crise, testemunhando momentos de caos e heroísmo.

Sem sinal de celular por muitas vezes, Lia enviava mensagens para familiares e amigos de Ibirubá quando estava na cidade de Teutônia, compartilhando relatos do que presenciava. Sua narrativa revela não apenas a devastação causada pelas enchentes, mas também o espírito de colaboração e ajuda mútua que emergiu em meio ao caos.
“Durante os recentes eventos de enchentes em nossa cidade, testemunhei uma série de desafios e situações críticas que expuseram as deficiências em nosso sistema de alerta e preparação para desastres naturais. É evidente que houve um despreparo por parte das autoridades locais, deixando muitos cidadãos desinformados e vulneráveis diante da magnitude da enchente. Muitos residentes, confiando na experiência anterior de cheias, não perceberam a gravidade da situação até que fosse tarde demais. A ausência de um sistema eficaz de alerta, como carros de som ou outros meios de comunicação, contribuiu para essa falta de preparação e resposta rápida. Presenciei casos em que moradores, mesmo alertados, decidiram permanecer em suas casas, optando por se refugiar no segundo andar, apenas para serem posteriormente inundados. Foi necessário um esforço coletivo, com moradores utilizando seus próprios barcos para ajudar uns aos outros, muitas vezes colocando suas próprias vidas em risco. Além disso, observei um aumento preocupante nos preços de itens essenciais, como água potável, evidenciando a exploração das dificuldades enfrentadas pela população durante a crise. Apesar dos desafios, também testemunhei exemplos inspiradores de solidariedade e apoio mútuo em nossa comunidade. Um exemplo notável foi um senhor que generosamente ofereceu seu prédio em construção como abrigo para os desabrigados. Essa demonstração de solidariedade destaca a resiliência e a capacidade da comunidade de se unir em tempos de necessidade. No entanto, é importante ressaltar que muitos ainda estão enfrentando dificuldades significativas, incluindo a falta de luz e água desde o início da emergência. É fundamental que continuemos a mobilizar esforços para garantir que todas as necessidades básicas sejam atendidas e que os cidadãos afetados recebam o apoio necessário para se recuperarem dessa crise devastadora”, relata.
Além disso, Lia relata que era triste escutar os animais latindo de desespero. "Durante as enchentes, testemunhei uma situação angustiante para os animais domésticos. Os donos precisaram evacuar suas casas às pressas, deixando seus cães e gatos para trás. Ouvir os latidos de medo desses animais, sem poder ajudá-los imediatamente, foi uma experiência devastadora. Muitos moradores optaram por sair com seus animais de estimação, mas outros, infelizmente, os deixaram para trás na esperança de que estariam seguros em casa. Os latidos incessantes desses animais em perigo apenas aumentavam a nossa agonia. Como ativista da causa animal, foi extremamente doloroso sentir-me impotente diante da situação, mas isso só reforça a importância de estarmos preparados para proteger e cuidar de nossos animais em momentos de crise." desabafou.

Lia relata que pretende voltar assim que as coisas melhorarem em Estrela para ajudar o pessoal
''Ver a região do Vale do Taquari passando por esse momento tão difícil é de cortar o coração. Estou profundamente tocada pela solidariedade e determinação das pessoas em meio à adversidade. Pretendo retornar assim que a situação se estabilizar para oferecer minha ajuda e apoio. Esta é uma comunidade forte e unida, e estou ansiosa para fazer parte dos esforços de reconstrução e recuperação. Juntos, tenho certeza de que conseguiremos superar essa crise e emergir ainda mais fortes'', pontua. 
A propagação em massa de áudios, vídeos e mensagens com informações desencontradas, como rompimento de barragens, deixou a situação ainda pior. Lia sofreu na pele o os efeitos devastadores das notícias falsas. "Além dos desafios enfrentados durante as enchentes, fui confrontada com a disseminação de fake news em grupos de mensagens, o que só aumentou minha angústia e incerteza sobre o que estava realmente acontecendo no estado. As informações falsas circulando criaram um ambiente de confusão e desconfiança, dificultando ainda mais nossa capacidade de entender a extensão da crise e responder adequadamente. É fundamental que todos nós estejamos vigilantes e verifiquemos cuidadosamente a veracidade das informações antes de compartilhá-las, especialmente em momentos de emergência como este. Precisamos nos unir em torno de fontes confiáveis de informação e evitar a propagação do pânico e da desinformação. Juntos, podemos enfrentar desafios com mais clareza e solidariedade." conclui.
 


 

Publicidade

Notícias relacionadas

Gaúcho e Progresso - Quinze de Novembro coroa seus campeões no Campeonato Municipal

Em uma noite de fortes emoções, as torcidas se fizeram presentes no estádio e celebram as conquistas com os jogadores dos clubes

29 de abril, 2024

Publicidade

Banca Virtual Edição Digital

Principais categorias