31 de maio, 2024 09h05m Agronegócio por Redação Integrada Rádio Cidade de Ibirubá e Jornal O Alto Jacuí

Canola: uma oportunidade para as safras de inverno

A cultura apresenta inúmeros benefícios para o sistema de produção, como por exemplo: a rotação de culturas

A semeadura das culturas de inverno contribui para o equilíbrio financeiro das propriedades rurais, principalmente se a cultura possuir um bom potencial de comercialização. 

Assim, a cultura da canola de nome científico Brassica napus L. var. oleifera, é uma aleuro-oleaginosa de inverno que vem expandindo as suas áreas consideravelmente no Brasil, por ser uma importante produtora de óleo de excelente qualidade, rico em lipídeos insaturados, o que favorece a sua aceitação no mercado, além de gerar resíduos como farelo, utilizado na formulação de rações para a alimentação animal devido ao alto teor proteico. Além disso, a canola também se destaca pela relevância na produção de biodiesel, apesar da produção brasileira ser destinada majoritariamente para a alimentação. Além do mais, essa cultura apresenta grande liquidez no mercado e preço de venda equiparado à soja. Porém, a produção nacional de grãos de canola se apresenta insuficiente, atendendo apenas aproximadamente 50% da demanda dos brasileiros por consumo de óleo de canola.
Diante do exposto, além do potencial econômico da canola, a cultura apresenta inúmeros benefícios para o sistema de produção, como por exemplo: a rotação de culturas (reduzindo a longo prazo, o estresse sobre o sistema solo/planta/microrganismos, resultando em uma maior estabilidade na dinâmica de nutrientes no solo); auxilia na descompactação do solo; favorece a fixação biológica de nitrogênio (FBN); auxilia na redução da seleção de plantas daninhas resistentes a herbicidas; beneficia os inimigos naturais e a biodiversidade e reduz a pressão de insetos-praga e doenças (menor utilização de defensivos agrícolas como inseticidas, herbicidas e fungicidas). Além disso, amplia a eficiência e o equilíbrio de todo o sistema produtivo, contribuindo para o aumento da eficiência de uso da terra e de práticas conservacionistas de solo (cobertura do solo, controle de erosão e ciclagem de nutrientes). Diante do exposto, a produção de canola no mundo está concentrada em países da União Europeia, Canadá e China. Dessa forma, esses países têm limitações para o uso de áreas na agricultura, como problemas de salinização, solos pouco férteis e secos, o que dificulta o aumento na produtividade dos cultivos. Desse modo, o Brasil é uma importante alternativa que apresenta solos agricultáveis, máquinas e demais meios que permitem expandir a produção de canola, apenas empregando-a na estação mais fria nas áreas que produzem as culturas de soja e milho no verão.
Apesar dos desafios, a canola é uma cultura promissora que oferece inúmeras vantagens. Assim, para obter mais informações sobre os tratos culturais necessários para esta cultura que tem grande potencial de expansão no mercado brasileiro, recomenda-se a busca por uma assistência técnica especializada. Este suporte pode ser encontrado, costumeiramente, em cooperativas ou empresas de consultoria sérias e focadas no aumento da sustentabilidade e da rentabilidade, de acordo com as particularidades dos mais diversos sistemas de produção agrícola.

Micael Fernando Müller/  Dr. André Schoffel
 

Publicidade

Notícias relacionadas

LFCC de Ibirubá realiza chá beneficente para escolher novas Glamour Baby, Infantil e Infanto Juvenil

No próximo dia 2 de junho, o Salão Católico de Ibirubá será palco para mais uma edição do tradicional chá beneficente organizado pelo Lions Clube de Ibirubá (LFCC).

31 de maio, 2024

Publicidade

Banca Virtual Edição Digital

Principais categorias