08 de março, 2024 09h03m Agro por Redação Integrada Rádio Cidade de Ibirubá e Jornal O Alto Jacuí

Pela primeira vez o município de Tapera recebe cerimônia de abertura da colheita nacional da soja

Apesar da expectativa de boa safra, os produtores reivindicam ajustes nos preços do grão e melhora no seguro agrícola

A abertura oficial da colheita da soja em Tapera não apenas simboliza o início de uma intensa temporada agrícola, mas também destaca as preocupações legítimas dos produtores em meio às oscilações de preços e às perspectivas de uma safra robusta. O setor agrícola aguarda atentamente por ações que possam assegurar a sustentabilidade econômica dos agricultores frente aos desafios presentes.

Na ensolarada manhã de sexta-feira, dia 1º de março, Tapera, no norte do Rio Grande do Sul, foi o palco da abertura oficial da colheita da soja de 2024, um evento grandioso organizado pela Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja). O encontro contou com a presença de renomados palestrantes, como Pedro Lupion, presidente da Frente Parlamentar da Agricultura (FPA), o deputado gaúcho Alceu Moreira (MDB) e o influente senador Luis Carlos Heinze (PP).
O evento não apenas celebrou o início da colheita da safra, mas também proporcionou um espaço valioso para discussões cruciais, com os produtores manifestando suas preocupações em relação ao atual cenário de preços da soja. O presidente da Aprosoja Brasil, Antônio Galvan, expressou sua inquietação com a drástica redução no valor da saca da soja em comparação com anos anteriores. Em 2022, durante a alta demanda pós-pandemia, a saca alcançava uma média de R$ 200. Contudo, neste ano, com a perspectiva de uma colheita abundante, os preços médios despencaram para R$ 107 por saca no Rio Grande do Sul.
"Além da preocupação com a quebra de safra, a situação dos preços é mais grave. Nunca testemunhamos uma queda de preços associada a uma quebra de safra. Os produtores rurais, com os valores atuais pagos pela soja brasileira, enfrentam dificuldades para cumprir seus compromissos. Os arrendatários, em particular, estão em uma posição desfavorável nessas condições. Se não houver uma reação nos preços, sem dúvida, o setor enfrentará muitas dificuldades", alertou Antônio Galvan.
A última projeção da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgada em 10 de janeiro, aponta um aumento significativo de 68% na produção de soja para o Rio Grande do Sul em 2024, prevendo um volume total de 22 milhões de toneladas. Com quase 7 milhões de hectares semeados no estado neste ano, a nova estimativa será aguardada com expectativa, sendo revelada pela Emater durante a Expodireto Cotrijal, programada para a próxima semana em Não-Me-Toque. A abertura oficial da colheita da soja em Tapera não apenas simboliza o início de uma intensa temporada agrícola, mas também destaca as preocupações legítimas dos produtores em meio às oscilações de preços e às perspectivas de uma safra robusta. O setor agrícola aguarda atentamente por ações que possam assegurar a sustentabilidade econômica dos agricultores frente aos desafios presentes.

Publicidade

Notícias relacionadas

Desafios e esperanças: Uma visão da safra de soja 2023/2024 no Rio Grande do Sul

As lavouras de soja do Rio Grande do Sul estão chegando ao fim de sua jornada para a safra de verão 2023/2024, com a colheita já passando da metade.

15 de abril, 2024

Publicidade

Banca Virtual Edição Digital

Principais categorias