Obras de infraestrutura visam elevar de patamar o Hospital Annes Dias

Entenda porque as obras saíram do papel em uma época de Pandemia 

O Hospital da Comunidade Annes Dias, é uma das poucas instituições da área da saúde que está conseguindo vencer a Pandemia equilibrando as finanças, recebendo investimentos de emendas e realizando obras de melhorias. Devido a baixa receita do último ano e meio, causada pelas mudanças da Covi-19, o hospital precisou contar com o auxílio da comunidade e das lideranças políticas para continuar trabalhando de forma ativa. A receita principal da instituição está nas cirurgias estéticas, curativos, tratamento com especialistas, que deixaram de acontecer. Somado a essa queda, também há o baixo investimento por parte do governo do estado ao hospital, que precisaria de no mínimo 12 mil reais por dia para se manter, e recebe menos que esse valor mensal pelo governo. 

Mas se de um lado há dificuldades financeiras, por outro lado muitas melhorias na infraestrutura saíram do papel, o que causa estranheza e dúvidas a comunidade. Como o hospital está realizando obras sendo que precisa de investimento para manter as atividades? Se perguntam muitos ibirubenses. A resposta está nas explicações e transparência dos administradores, Odair Funck e Ricardo Grave. Conforme eles explicam, muitas emendas já vem com uma certa destinação e não podem ser usadas para outros fins, como o pagamento da folha dos funcionários, por exemplo. Por isso muitas obras como a instalação de uma estação de tratamento de esgoto, que está sendo realizada nos últimos dias, estão saindo do papel só agora, pois já haviam sido destinados recursos e estava planejada há mais de dois anos. Além dessa melhoria, também está sendo estruturada a central de oxigênio e a instalação das placas solares, prevista para o final do mês de julho. Essa instalação, que será de responsabilidade da RGE, irá diminuir os gastos com energia solar em 75%, possibilitando a instalação de ar condicionado nos quartos, “O hospital chegou a um patamar e precisa continuar, esse é um dos nossos grandes desafios. Esses recursos das reformas vem específicos para esse fim. Temos o objetivo de ter 51 leitos, o que aumenta ainda mais o nosso nível”, afirmou Ricardo. Para aumentar o número de leitos é necessário que seja realizado uma reforma em um dos andares do hospital, que está em espera para análise e autorização do Ministério da Saúde. 

Nas últimas semanas o Hospital publicou uma nota pública, esclarecendo a questão que envolve uma CPI que investiga o crescimento exagerado no valor dos medicamentos, que prejudicou ainda mais as instituições. Segundo Odair, muitas pessoas acreditaram que o hospital estaria sendo investigado por mal uso dos recursos, quando na verdade o hospital foi uma das vítimas do superfaturamento dos medicamentos “Esses boatos nos deixam chateados. Pois a CPI está investigando diferentes realidades, os hospitais foram bastante prejudicados. Não estamos sendo analisados, mas sim fornecendo informações”, explicou Odair. 

O hospital vem mantendo o equilíbrio das finanças com as emendas de custeio que estão sendo destinadas, mas que não são fixas, servindo de exemplo assim para outros lugares. Isso porque, lideranças políticas de diferentes frentes destinaram recursos ao hospital, “O que nos diferencia também é a articulação de todos. Isso nos engrandece. Com esses recursos estamos melhorando o hospital, elevando de patamar e trazendo benefícios ao municipio”, destacou. Entre os desafios que perduram há mais de um ano, está a mudança do contrato com o estado, que está sendo buscado diariamente com pedidos e contatos e também a falta de profissionais qualificados. Conforme Odair enfatizou, cada vez mais os profissionais recém formados buscam por grandes centros ao invés de procurar por cidades do interior, o que prejudica o cenário de atendimento e quadro clínico especialista. Em relação às internações da covid-19, os números vêm se mantendo baixos e estáveis. “Estamos saindo mais fortalecidos dessa pandemia. Mesmo em meio a tudo isso, estamos construindo quatro projetos de melhorias de estrutura, além do baixo índice de mortalidade e buscando pela renovação contratual com o estado, com resolutividade e atendimento qualificado”, afirmou o diretor. 

Autor: Rádio Cidade Ibirubá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *