Jaqueline Camera De Mello Dorfey – 02 de abril Dia Mundial do Autismo

A data foi criada em 18/12/2007 pela Organização das Nações Unidas-ONU para a conscientização e maior conhecimento da população sobre o tema. Em 2010 a ONU chegou a afirmar que existem no Mundo cerca de 70 milhões de pessoas com o transtorno.

Curiosidades:

·         Desde 2011 o Cristo Redentor no Rio de Janeiro é iluminado pela cor azul em função da prevalência do sexo masculino. No autismo a incidência é de 4 meninos para cada 1 menina. Outros prédios pelo Brasil também ficam iluminados em referência a data.

·         A fita é o símbolo do autismo que contém o quebra-cabeça demonstrando a complexidade do TEA. Por se tratar de um Espectro, o autismo apresenta infinitas peculiaridades e especificidades.

·         Em 1943 o doutor Kanner diagnosticou pela primeira vez o autismo e segundo ele, as crianças apresentavam alterações graves na socialização, no comportamento e comunicação. Com o passar dos anos surgiram outros critérios específicos até o atual Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais DSM-5.

·         De acordo com o DSM-5 de 2013 o Transtorno do Espectro do Autismo-TEA caracteriza-se principalmente por déficits persistentes na comunicação e interação social e padrões de comportamento, interesses ou atividades restritas e repetitivas.

·         Para se fechar o diagnóstico no TEA é preciso cumprir alguns critérios: Os sintomas devem estar presentes num período precoce do desenvolvimento; os sintomas causam uma perturbação clínica significativa e essas alterações não são melhor explicadas por outra condição.

Tratamento:

A Ciência ABA possui comprovação para a intervenção no autismo. Segundo Lima 2015: Trata-se de uma metodologia de intervenção baseada nos princípios do behaviorismo, que tem por objetivo a modificação do comportamento. Esta modificação é feita com base na análise do comportamento disruptivo ou do comportamento que se deseja alterar, identificando minuciosamente os antecedentes e as consequências do comportamento em questão, tendo ainda em consideração fatores ambientais que ajudam a reforçar os comportamentos indesejados e a motivação que está na base desses comportamentos.

Importante: Ao menor sinal de atraso nos Marcos de Desenvolvimento a família deve procurar orientação e não esperar um laudo médico para começar a intervenção/estimulação, a fim de recuperar os possíveis atrasos.

RESPEITO-DIVERSIDADE-EMPATIA-INCLUSÃO-FORMAÇÃO

Autor: Rádio Cidade Ibirubá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *