Connect with us

Notícias Gerais

Início das floradas de primavera estimulam polinização das abelhas

Published

on

Os dias ensolarados associados às temperaturas amenas, estimularam as abelhas à procura por néctar e pólen. De acordo com o Informativo Conjuntural produzido e publicado pela Gerência de Planejamento (GPL) da Emater/RS-Ascar, na quinta-feira (03), algumas espécies de árvores, como citros, pitangueira, pessegueiros, entre outros, estão com uma boa florada. As semanas com com tempo seco, dias ensolarados, com temperaturas amenas que foram se elevando em geral, beneficiaram o desenvolvimento do trigo e auxiliaram na recuperação das plantas atingidas pelas geadas. Neste período, 15% da área cultivada está em fase de enchimento de grãos, 40% em floração e 45% ainda germinação e desenvolvimento vegetativo. No final do período houve mudanças com a formação de nebulosidade e ocorrência de chuvas de baixa intensidade e distribuição variável no Estado, que favoreceram a cultura ao restabelecer a umidade no solo e devem seguir até a próxima semana. Na região de Santa Rosa, 14% das lavouras de canola encontram-se em floração, 73% em enchimento dos grãos, 10% em maturação e 3% já foram colhidas. A produtividade das primeiras lavouras foi considerada boa, acima da média esperada. Em geral, as lavouras apresentam boa população de plantas, sem incidência grave de pragas e doenças. Os produtores monitoram as pragas para, se necessário, realizar as pulverizações com inseticidas.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Gerais

Quinze de Novembro instala letreiro na Praça Central

Published

on

Com o objetivo de incentivar o desenvolvimento turístico de Quinze de Novembro, a Administração Municipal realizou a instalação de um letreiro na Praça Central Clara Saft, com a inscrição “Amo Quinze de Novembro”. O objetivo é oferecer mais um local para que os munícipes e turistas que visitam a praça divulguem o município, tirando fotos no local e

compartilhando em suas redes sociais. O investimento faz parte de uma série de ações que estão sendo realizadas durante o final do ano, nas programações do 24º Natal Encanto

e 33º Aniversário do Município.

Continue lendo

Notícias Gerais

Como a Pandemia está afetando a nossa saúde mental?

Published

on

Psicóloga Luciane Pavão fala sobre os principais efeitos da pandemia no emocional 

A pandemia vem desencadeando diversos problemas psíquicos nas pessoas, o medo, a incerteza e a mudança nos planos mexeu muito mais com a estrutura emocional que física da população. Em entrevista ao Jornal O Alto Jacuí e a Rádio Cidade, a Psicóloga Luciane Pavão Koch, que é especialista em gestão estratética de pessoas, terapeura cognitiva comportamental e trabalha há duas décadas em uma cooperativa em Espumoso, explicou como a situação atual da pandemia vem refletindo na saúde mental, inclusive das crianças. Acompanhe. 

OAJ: Como a psicologia trabalha com essa pandemia e os reflexos dela?

Luciane Pavão: A pandemia da Covid 19, está mexendo com todos nós, a gente tá vivendo agora um repique novamente, alguns casos estão novamente voltando. A covid 19 é uma doença, dá pra se dizer, desconhecida e com uma contaminação acelerada. Isso cria nas pessoas um certo medo, as pessoas têm medo porque elas estão diante de uma incerteza, elas estão diante de algo que ela não tem controle e isso causa um estresse muito grande. E esse estresse faz com que as pessoas passem a ter sintomas depressivos, passam a ter sintomas ansiosos, a inclusive até despertar doenças que já tiveram no passado, transtornos mentais acabam se agravando e até tem transtornos mentais que vão, a partir dessa época, dessa pandemia, vão fazer com que as pessoas desenvolvam. E é muito preocupante, porque a gente tem as crianças, nós temos as nossas rotinas todas modificadas, nossos planos foram interrompidos, as escolas estão sem as aulas, as crianças com estudo remoto. A gente percebe que a escola é importante para o aprendizado, mas não é só isso, a gente sabe que na escola acontece a sociabilidade, acontecem os vínculos, acontece a troca. Tem toda uma rotina por trás da nossa vida que faz com que a gente tenha saúde mental. 

OAJ: A escola ajudaria as crianças a compreenderem melhor a pandemia?

Luciane Pavão: Exatamente. O afastamento da escola, ele quebra a rotina das crianças e deixa a cargo dos pais essa situação de tratar essas questões de tarefas escolares e também de tratar com a questão da própria covid. A gente sabe que as professoras estão fazendo o máximo para poder colaborar para que as crianças entendam o que tá acontecendo. Eu percebo, por dois filhos que eu tenho, as escolas também estão tentando fornecer o máximo que elas podem dentro de uma estrutura que também foi pega de surpresa. Não estávamos preparados para tudo isso que tá acontecendo, dificilmente teríamos todos os recursos tecnológicos. Então muitas vezes tá falhando na questão do aprendizado e muito na questão do vínculo, do relacionamento, das dúvidas. Nós, na clínica, a gente recebe pais com crianças muito preocupados, a criança com muito medo e o medo ele gera uma angústia dentro da gente e causa sofrimento, sofrimento psíquico. Realmente tá fazendo falta às escolas para as crianças, o convívio social. Esse distanciamento vai nos prejudicar, tanto no futuro, quanto já tá prejudicando agora.

OAJ: Como detectamos o início de uma depressão ou se a pessoa está com ansiedade?.

Luciane:: Se formos pensar nos manuais de psiquiatria, a gente tem a parte da depressão, que são os transtornos de humor. Nesses transtornos de humor a gente vai ter então a depressão, a bipolaridade. E no caso das ansiedades, nós temos os transtornos de ansiedade, aí a gente tem a ansiedade generalizada, as fobias, muitas pessoas estão desenvolvendo fobia a lugares fechados, estão desenvolvendo fobias também a lugares altos, fobias animais, fobias até mesmo de agulha,a ferimento. Então tá despertando na gente, essa pandemia tá mexendo muito com a nossa saúde mental. Então existe uma diferença aí entre a depressão ea ansiedade. A pessoa depressiva, ela passa a ver o mundo com um filtro escuro, com umas lentes escuras, é como se ela colocasse um óculos e ela passasse a ver o mundo apenas dessa cor, e ela sente muita desesperança, ela sente muito desamparo, muito fracasso em relação a vida e isso faz com que ela mude o comportamento de vida dela. O que têm acontecido? existem pessoas introvertidas e extrovertidas, cada um vai receber essa pandemia, vai receber essa pandemia de um jeito, então não tem um padrão de saber quem tá depressivo e quem não tá. Mas um grande alerta é as pessoas prestarem atenção pras mudanças de comportamento, se a pessoa era extrovertida, era festeira, era uma pessoa que se alimentava bem, praticava exercício físico, uma pessoa de bom humor, que via as coisas com uma lente sempre positiva e você percebe que ela tá mudando, que ela tá se comportando de forma muito diferente, a gente tem que ficar alerta porque pode estar tendo o início de uma depressão. Precisamos ver a questão do sono né, eu tenho visto na clínica que as pessoas tem muita insônia, não conseguem dormir a noite, as suas rotinas mudaram, existem muitas preocupações. Além da mudança na rotina, tem toda a questão financeira. Se a gente for pensar assim, essa pandemia ela mexeu na cabeça, no bolso, na rotina. 

OAJ ENTREVISTA: As pessoas  estão com motivos para estarem preocupadas.

Luciane: Exatamente. E uma ansiedade, a ameaça às vezes é um perigo não real, mas hoje o perigo é real, existe o perigo. Só que se a gente for olhar tudo com uma lente escura, como que vai ficar o nosso futuro? Então a gente precisa dar uma olhada diferente nisso tudo. Como ajudar essa pessoa que está em início de depressão? Precisamos buscar ajuda para mudar os nossos pensamentos. Ontem eu tava prestando atenção, parece que a vacina está sendo encaminhada, à anvisa tá tentando acelerar o processo de aprovação, então existem chances dessa vacina chegar, a gente já passou por graves crises. Se a gente for pensar, em 2002 teve a síndrome respiratória aguda grave que atingiu a Ásia e que tivemos grandes problemas lá. Essa pessoas se recuperaram, essas pessoas ressurgiram de tudo que aconteceu, eles tiveram uma crise econômica grande, tiveram crise de saúde e nós também podemos passar por essa crise e nos reerguer. Mas é importante que a gente consiga olhar com olhos positivos também, a gente viu que coisas boas aconteceram também na pandemia. As pessoas se ajudando, as pessoas se olhando mais. Apesar da máscara, olha que engraçado, se a gente for pensar, a gente tá usando máscara mas os nossos olhos é que tão falando. Então a gente teve que aprender a sorrir com os olhos, a gente teve que aprender a se comunicar dessa forma. As pessoas, mesmo distantes, elas estão achando formas de se comunicar online, por telefone, vídeo chamada. Tem uma fato bem curioso, eu atendo bastante idoso e é muito engraçado que nessa pandemia, o que aconteceu, eles não podem vir pra clínica e aí eu sugeri, mas sugere pensando que eles não fossem querer fazer, eu sugeri fazer videochamada e você acredita que os idosos estão fazendo? Eles ficam na casa deles e eles aprenderam a fazer as videochamadas e a gente faz então as sessões de terapia por videochamada. O que aconteceu com o distanciamento? As crianças saíram da escola, então as crianças estão sem os profs e estão com a educação remota. As clínicas, os filhos não deixavam os pais ir pras clínicas, só ia pra médico se precisasse muito. O mês de abril foi o mês que a gente atendeu pouca gente dentro da clínica. E aí a gente achou esse recurso e os idosos se adaptam, às pessoas adultas, as crianças e os adolescentes, eles se adaptaram facilmente, foi muito tranquilo e os idosos foi uma surpresa pra mim, eu achei muito interessante a forma como eles se adaptaram e estão conseguindo levar uma vida melhor através da ajuda da psicoterapia. 

OAJ ENTREVISTA: É possível uma pessoa ter ansiedade e depressão?

Luciane: O que tem acontecido? Nos manuais elas aparecem separadas, então a gente tem a descrição do que é a depressão e a descrição do que é a ansiedade. A depressão ela tem a ver com duas semanas intensas de humor deprimido, anerdonía (que é a falta de prazer), tem a ver com a falta de vontade de fazer as coisas,a forma de enxergar o mundo de forma negativa, desesperança. A ansiedade, ela já tá tratando mais da questão que a pessoa tem ansiedade em relação a situações. Ela tem a necessidade de controle. O ansioso gostaria de controlar o que vai acontecer lá na frente, então ele começa a ter ansiedade antecipatória, ele tem pensamentos e preocupações que fazem ele se precaver. Ele vê uma ameaça lá na frente e ele se protege, ele fica pensando em como ele vai resolver se lá na frente eu ficar doente, o que eu vou fazer. E não que ele queira pensar isso. O nosso cérebro ele tem pensamentos automáticos, por mais que eu queira evitar, é impossível evitá-los. Então o jeito é deixar esse pensamento vim e tratar, lidar com ele também. O que tem acontecido? Não existem casos puros, é muito difícil pegar uma pessoa só com depressão, é muito difícil pegar só um ansioso, na teoria tá separado, na prática se entrelaça. Na prática a gente pega pessoas ansiosas com uma percepção do depressivo e pega depressivos com muita sintomatologia do ansioso. Os transtornos somáticos é uma coisa bem importante pra se tratar. Tudo o que a boca não consegue falar, não consegue expor, expressar, muitas pessoas sentem no corpo. Então é engraçado que a ansiedade tem uma característica muito forte de tensão muscular. Quando você tá muito ansioso, você tem dores em algumas partes do corpo. Então a ansiedade vem com toda uma questão fisiológica também. Então sim, pode ter comorbidade que a gente chama, ter um pouquinho de um quadro, um pouquinho de outro quadro. Agora me passou pela cabeça a questão do pânico, como tem casos de transtorno de pânico agora nesse período, por causa do estresse, por causa de tudo que a gente tá vivendo.

OAJ ENTREVISTA: A partir de quantos anos você sugere que os pais levem as crianças para um contato com o psicólogo?

Luciane: Eu atendo crianças a partir de 5 anos. É um trabalho diferenciado, o trabalho com criança, porque a gente trabalha os pais também. A criança ela é o resultado de uma situação e um contexto familiar. A gente trabalha o pai, trabalha a mãe, as primeiras sessões são com o pai e a mãe. A gente tenta entender qual é o contexto, o que ta acontecendo com essa criança e a partir disso a gente trabalha, depois, a avaliação da criança. E aí eu trabalho com a ludoterapia, é a terapia através do brinquedo e também com a terapia cognitivo comportamental, que tem a ver com a questão dos comportamentos, pensamentos e sentimentos. É muito importante a criança aprender que pode sentir raiva, mas tem que lidar com essa raiva, não pode sair quebrando as coisas, ela pode sentir medo que ela não vai estar sendo covarde, ela vai lidar com esse medo, as vezes o medo é protetivo, quando a criança vai atravessar uma rua o medo é importante pra ela, porém se a mãe tá no banheiro e ela ta na sala, ela tem que entender que o medo aí já é excessivo. A gente trabalha na terapia os sentimentos da criança pra ela aprender a reconhecer o que ela ta sentindo e porque ela tá sentindo. Não tá conseguindo dormir sozinho, é uma das primeiras questões que vem pra clínicA, não durmo sozinho, a mãe quer me trocar de quarto, a criança tem muita fantasia, então ela cria a fantasia e acredita que é real e por isso ela sofre de verdade.Então eu digo para os pais, ela tá com medo de ficar no quarto sozinha, faz uma adaptação, fica um pouquinho, reza com a criança, aí entra a rotina. Eu tenho cobrado muito dos pais a questão da rotina, a criança precisa rotina, horário para levantar, horário pra almoçar, local pra almoçar. Se almoça na mesa, as relações familiares acontecem na hora do almoço, ajudar, dependendo da idade, a criança já pode ajudar nas tarefas de casa, ela vai se sentir bem, ela vai ter uma autoestima melhor, ela vai se sentir parte daquela família, parte daquela casa, então tudo isso é bem importante. Por isso que o nosso trabalho ele vai paralelo, vai à criança e os pais e a gente vai conversando a gente alcança resultados bem positivos.

OAJ ENTREVISTA: O que pode explicar a incidência de suícidio na região?

Luciane: O que acontece? O suicídio é um fenomeno multifatorial, é um assunto complexo de se lidar, dá pra se dizer que é um tabu, mexe com vida e morte, mexe até com questões religiosas, de certa forma estão envolvidas com isso. A grande causa dele, ve provavelmente de uma dificuldade da pessoa em lidar com todas essas pressões, com todo esse estresse, com tudo o que ela tá passando e não tá conseguindo administrar. Ele é um pedido de socorro. Existe uma estatistica que 70% das pessoas, antes de cometerem suicídio, elas dão alguma pista, de alguma forma, ou na fala, ou no comportamento, ou na mudança do comportamento, essas pessoas dão uma pista de que algo não tá legal com elas e elas pedem ajuda, não de uma forma direta, mas de uma forma indireta. Então é importante que a gente fique atento, não só em setembro, que é o mês que a gente faz a campanha sobre o suicídio, mas durante o ano inteiro. É importante que a gente previna o suicídio, antes mesmo de ele acontecer. Como prevenir antes mesmo de ele acontecer? Tendo uma rotina adequada, fazendo exercício físico, tendo uma higiene mental, às vezes a gente acha que é só o corpo que precisa de cuidado, mas não a gente precisa cuidar dos pensamentos, dos sentimentos. Quando uma perna quebra, ninguém manda a pessoa correr, agora quando a pessoa tá triste, quando a pessoa não consegue dar a volta sozinha, a gente chega pra pessoa e diz “seja forte”, a pessoa não consegue ser forte sozinha. Então a gente precisa acolher, apoiar, dar um ombro, ouvir, e é muito importante não julgar, a gente tem tendência a querer ajudar e acaba julgando a pessoa. Às vezes o importante é escutar, escutar o que a pessoa tem pra te dizer, oferece um ombro amigo, presta atenção nela, pra ela poder sentir que tu tá preocupado com ela.

Continue lendo

Notícias Gerais

Motociclista perde a vida após acidente em Espumoso/RS

Published

on

Um acidente de trânsito foi registrado por volta das 14h45min de quarta-feira, 25, na Avenida Osvaldo Júlio Werlang em Espumoso/RS.

O fato ocorreu bem em frente ao Banco Sicoob. Segundo  informações da Rádio Planetário, Humberto Comin transitava no sentido Soledade a Tapera com sua moto, quando teve a frente cortada por um Saveiro de cor branca. A equipe do SAMU foi acionada e o encaminhou até o Hospital São Sebastião de Espumoso. Comin chegou sem vida ao Hospital.

A Polícia Civil foi acionada e abriu inquérito para investigar as circunstâncias do acidente.

Continue lendo

Notícias Gerais

Rolo compactador invade casa de idosa em Ibirubá

Published

on

Na tarde de quarta-feira, 25, um acidente foi registrado na Rua Firmino de Paula, subida para o bairro Progresso em Ibirubá. Um rolo compactador marca Dynapac invadiu uma residência, após o maquinista perder o freio do equipamento.

Não houve feridos, apenas danos materiais.

Continue lendo

Notícias Gerais

Jovem morre após acidente na ERS-223 em Ibirubá

Published

on

Por volta de 8h da manhã de quarta-feira, 25, uma colisão traseira foi registrada na ERS-223, localidade da Várzea, em Ibirubá/RS. Segundo informações da Polícia Rodoviária Estadual (PRE), uma motocicleta Yamaha Fazer 250, cor preta, ano 2015, trafegava sentido Cruz Alta / Ibirubá, e acabou colidindo na traseira de um caminhão que vinha no mesmo sentido. Com o impacto o condutor da moto, Dionatan Bellé de Avila, de 24 anos, foi arremessado ao asfalto, e teve várias escoriações. O resgate do Corpo de Bombeiros de Ibirubá foi chamado e levou a vítima ao Pronto Atendimento do Hospital da Comunidade Annes Dias em Ibirubá. Devido a gravidade das lesões, foi necessária transferência para Cruz Alta, porém Dionatan teria chegado sem vida ao hospital. Ele é natural de Julio de Castilhos/RS.

A Polícia Civil de Ibirubá registrou a ocorrência e vai investigar as circunstâncias do acidente. O corpo foi encaminhado ao IML para necrópsia, e posteriormente liberado para a família realizar a despedida.

Continue lendo

Notícias Gerais

Diego Horbach, o Albino Wallsmaia, relembra prêmio conquistado ao vivo em rede nacional

Published

on

Há oito anos atrás, em um domingo, a região torcia em frente a televisão por um jovem humorista de Quinze de Novembro. Diego Horbach disputou com outros candidatos o prêmio de um quadro novo do Domingão do Faustão, da Rede Globo. O “Jogo da Comédia” foi vencido por Diego, e abriu portas para uma nova fase da sua vida. Desde 2010, Diego Horbach interpreta Albino Wallsmaia.

— Trabalhava com meu pai, às vezes, como servente de pedreiro. Fui também trabalhar com um chiqueirão de porco ainda. Eu fazia o parto das porcas — relata. Ao ouvir do repórter uma expressão “que legal!”, ele rebate:— Legal nada, eu passava o dia rapando chiqueiro. O cara fedia a estrume de porco. 

Entre sua infância e adolescência, Diego participava de peças teatrais dirigidas por sua irmã, Patrícia Horbach. Ele criou o personagem Albino para passar trotes, estilo Willmutt, como uma brincadeira entre amigos. Com a repercussão, começou a trabalhar em programas de rádio e a fazer apresentações. A inspiração para o personagem sempre esteve ao seu redor ‘Meus familiares e também os habitantes daqui da região que têm dificuldade com a língua portuguesa. Vou a uma festa de comunidade, e aí é só ficar reparando nas figuras aqui. Acho que 70% é de origem alemã. Minha avó e minha mãe aprenderam alemão antes do português’.

Albino Wallsmaia é um senhor com “78 anos bem vividos”. Em seu show, conta sua história de vida – infância, juventude, a época que foi para cidade, como conheceu a esposa e seus problemas da terceira idade. “As pessoas se veem nele, se identificam. Muitos conhecem alguém assim, no seu jeito de falar, nas expressões usadas” aponta. Atualmente Diego se dedica a produção de conteúdo humorístico para a internet. Só no Facebook, a página Albino Wallsmaia tem mais de 800 mil seguidores.

Continue lendo

Notícias Gerais

Departamento de Finanças de Quinze de Novembro orienta sobre o pagamento de tributos

Published

on

O Departamento Municipal de Finanças de Quinze de Novembro solicita aos contribuintes que realizem o pagamento dos tributos municipais: IPTU, taxa de água, e alvarás municipais, evitando a inscrição em Dívida Ativa do município.

Os tributos municipais retornam aos munícipes através dos serviços públicos, como saúde, educação e infraestrutura. Os contribuintes com débitos devem procurar a tesouraria ou o setor de tributação da Prefeitura Municipal para a regularização, podendo inclusive realizar a negociação e parcelamentos para débitos em dívida ativa. O município também oferece opções de débito em conta para as taxas de água, facilitando o pagamento mensal.

Continue lendo

Notícias Gerais

Soja opera em queda na CBOT nesta 3ª feira, realizando lucros após últimos ganhos

Published

on

Nesta terça-feira (24), o mercado internacional da soja começa o dia em queda na Bolsa de Chicago e realiza lucros depois das boas altas da sessão anterior e de ter alcançado os US$ 12,00 por bushel. Às 8h (horário de Brasília), os futuro da commodity perdiam entre 7,50 e 8,75 pontos nos principais vencimentos, levando o janeiro a US$ 11,83 e o março, US$ 11,85. 

O mercado segue ainda muito sustentado pela demanda firme e pela incerteza sobre a safra 2020/21 da América do Sul em função do clima adverso. Todavia, as correções já eram esperadas para estes dias, principalmente, com o feriado importante do Dia de Ação de Graças comemorado nos EUA nesta quinta-feira (26). 

“O que reforça o sentimento de novas altas no curto prazo são as condições climáticas na América do Sul, que ainda apontam para clima irregular e chuvas abaixo da média para os próximos 10 dias”, explica o diretor da PÁTRIA Agronegócios, Matheus Pereira. 

Assim, o mercado se ajusta, porém, não deixa seu viés positivo de lado e segue monitorando todos os fundamentos que o mantêm firmes. No entanto, precisa de notícias frescas para dar continuidade à sua escalada e se concretizar acima dos US$ 12 por bushel. 

Continue lendo

Notícias Gerais

Carisma e trabalho marcam reeleição de Maria Illani Henkes Lamb

Published

on

Entre as sete vereadoras eleitas para ocupar os cargos na Câmara de Vereadores de Ibirubá, está Maria Illani Henkes Lamb, natural da comunidade de Santo Antônio e presidente do MDB de Ibirubá, Maria Ilani ingressou na política em 1988, onde começou a participar de comícios e gostar do assunto. Em 2012, sua primeira candidatura, recebeu 316 votos. Nesta campanha, que foi atípica e sem muitas visitas como Ilani conta a equipe da Rádio Cidade e ao Jornal O Alto Jacuí,  recebeu 507 votos “Uma campanha sempre é difícil, saímos pela manhã e voltamos só a tarde. Por medo da pandemia. Utilizei muitas minhas redes sociais para fazer campanha e gostei”, destaca Ilani, que contou com a ajuda da filha de 29 anos na produção dos materiais de divulgação de campanha. 

Entre os projetos votados na Câmara no último pleito, Ilani votou na redução do salário dos vereadores em 30% “Aprovar ou não um projeto é uma grande responsabilidade. Nós mexemos com a vida das pessoas, sou contra em algumas coisas e a favor do que for bom para o município”, reforçou. A grande maioria dos votos que reelegeram Ilani para o cargo de vereadora 2021/2024, foi no centro, ginásio e associação. Entre os projetos e objetivos para buscar junto ao legislativo, está a casa de idosos, a manutenção da saúde, saneamento básico, calçamento e revitalização de espaços públicos de lazer. 

Continue lendo

Notícias Gerais

Novo recolhimento de galhos nos bairros

Published

on

Durante o período de 30 a 40 dias, todos os bairros do município de Ibirubá são percorridos pela Secretaria de Obras para o recolhimento de galhos secos de plantas e árvores. A Administração Municipal reforça que é essencial a população respeitar o cronograma para que a cidade seja mantida limpa e organizada. Após o recolhimento do material, a comunidade deve aguardar a próxima data para descartar mais galhos nos passeios público.

O trabalho de recolhimento depende de dias secos. O cronograma poderá atrasar em algum momento devido ao tempo, mas a ordem dos bairros segue e a população deve sempre observar a data definida para o seu bairro.

Veja o  cronograma de recolhimento dos próximos dias nos bairros:

 São Jacob 26/11

Pôr do Sol 30/11

Hermany/Loteamento Coohabi 02/12

 Planalto 04/12, Jardim 08/12

 Floresta 10/12, Unida 14/12

 Santa Helena 15/12

 Chácara/Bangu 16/12

 Odila/Aparecida 17/12

 Progresso 21/12

 Esperança 23/12 e Centro todas as sextas-feiras.

Continue lendo

Veja Isso