Como está o trabalho da Corsan em Ibirubá e região?

Responsável pela maioria das estruturas de água de Ibirubá e região, Companhia Riograndense de Saneamento, que abastece as residências do município, está precisando modificar suas formas de atendimento, para acompanhar as evoluções tecnológicas. Entre as mudanças estão as novas formas de pagamento e parcelamento, que pode ser feito com uma entrada de 35% e o restante parcelado em um valor mínimo de R$50. Em entrevista ao Jornal O Alto Jacuí e a Rádio Cidade, a responsável pela companhia em Ibirubá, Lia Tiemann, tratou sobre as principais situações que estão acontecendo no município, como a falta de abastecimento em alguns bairros, a inadimplência e as estruturas nos loteamentos. 

Leia a entrevista completa: 

OAJ Entrevista: Quais as mudanças nas formas de pagamento da conta de água?

Lia Tiemann: Estão ocorrendo muitas mudanças, a Corsan inclusive está adaptando questão do cartão de crédito como forma de pagamento, está sendo instalado para ter parcelamento mas hoje o cliente pode solicitar a emissão da conta em entrega por e-mail ou com endereço alternativo, mas o e-mail é uma forma de se receber. Aí quando o funcionário passa para fazer a leitura, ele não deixa aquela continha azul, que ela normal não vai ficar, e vai por e-mail. E pode ser feito por aplicativo, hoje tudo está andando para um processo bem mais prático, principalmente pra aquelas pessoas que não gostam de se deslocar, mas está sim facilitando bastante. A pessoa que desejar fazer o parcelamento deverá ter um e-mail. Uma tecnologia que está mudando bastante a nossa realidade. Antes nós tínhamos um controle de atendimentos, hoje já às ordens de serviço chegam através do 0800  ou site. Muitas pessoas estão indo para esses canais e mudou muito a nossa rotina de trabalho. 

OAJ Entrevista: Qual a situação da caixa d’água na área industrial? 

Lia Tiemann: O processo do loteamento industrial partiu da Prefeitura Municipal já há muitos anos, eu lembro que eu nem estava na gestão e eu já escutava que tinha esse processo. Houve muitas questões com a Fepam, de liberação, toda essa questão burocrática. No ano passado a Corsan e a Prefeitura Municipal fizeram um convênio onde a corsan forneceu toda a tubulação para assentamento lá nas ruas. A prefeitura que adquiriu o reservatório , então foi uma parceria que se teve. Hoje ainda não tem água canalizada, o poço ainda não está montado. A gente encheu ele até uma parte para que não se perdesse em um vendaval ou algo assim, porque ele é muito grande. O  do Bairro Hermany por exemplo, é de 50 metros cúbicos e o da área industrial é de 100. Está finalmente instalado e agora o próximo passo é a terraplanagem nas ruas e o assentamento da rede. 

 OAJ Entrevista: Como está a questão dos novos loteamentos em Quinze de Novembro? 

Lia Tiemann: Nós ainda não temos acesso,  porque ainda não foi montada toda a estrutura. Há o reservatório sim, a Corsan já fez a aprovação da nova base que foi construída, agora ela apresenta a segurança necessária e o reservatório também mas tem toda essa parte elétrica de bombas, o parque de máquinas precisa ser ajustado, pois hoje não temos condições de trabalhar da forma que está lá. Existe um padrão, não sabemos ainda quantas horas o poço vai funcionar para atender o loteamento, então tem que ter toda uma parte de segurança e um acompanhamento da corsan diariamente para verificar se está em condições de atender, mas nós ainda não estamos fazendo isso porque o loteador ainda não cumpriu com todas as obrigações. Em muitos lugares a Corsan fiscaliza. Estando tudo passamos a operar e tem total responsabilidade sobre isso. Queimou uma bomba, alguma coisa, tem que resolver. Então por isso tem que se exigir materiais de qualidade. A gente já vê hoje os vazamentos que ocorrem nas cidades, em tubulações antigas, a corsan está padronizando, substituindo, trocando pra que não tenha esses problemas.

 OAJ Entrevista: Como está a situação do abastecimento no Bairro Hermany? 

Lia Tiemann: Tenho uma preocupação muito grande com Bairro Hermany, pois ele é abastecido por um poço atrás da Vencete Tudo, mas a região cresceu muito, são muitas ligações de água. Precisamos aumentar a produção lá e a expectativa era com o loteamento, mas agora vamos ter que pensar algumas formas para o verão. Entre outros problemas no bairro é a rede ser muito antiga, ainda da Prefeitura, é uma rede precária, temos que substituir para resolver.  Prevendo as estiagens que vamos ter é preciso desde agora mudar os hábitos e ter um consumo racional.  

OAJ ENTREVISTA: Qual o índice de inadimplência ao longo da pandemia?

Lia Tiemann: Posso dizer que um índice de inadimplência chegou a 400% a mais do que nós tínhamos, foi muito grande, foram mais de 250 imóveis. São em torno de 6 mil contas em Ibirubá e  mais ou menos mil ficaram inadimplentes. Temos aqueles imóveis que desde fevereiro não retornam mais o pagamento. Só que teve aqueles que ficou uma conta de março, abril, ou a pessoa foi morar e não sabia, ou teve a falsa ideia de que a corsan não iria cobrar aqueles meses. Não foi feita a leitura, foi feita pela média, a conta foi entregue pelo correio, tem locais aqui no município que o correio não atende. Entramos em contato com essas pessoas, tiramos a segunda via da conta e levou lá. Mais ou menos metade a gente conseguiu eliminar.

OAJ ENTREVISTA: Quantas casas hoje estão sem água em Ibirubá? 

Lia Tiemann: A maioria já religou, fizemos negociação, mais ou menos 40 casas ainda estão sem água. Ressaltamos que se a água foi suspensa e a pessoa violou, temos que registrar um Boletim de Ocorrência Policia, e uma multa de quase mil reais. Hoje tem mais ou menos umas 40 que nós percebemos que estão sem água a umas duas semanas.  As residências também não podem ser abastecidas por um vizinho, ele corre o risco de ser multado também.  

OAJ Entrevista? Como será feita a limpeza dos reservatórios?

Lia Tiemann: A limpeza será os Bairros Floresta, Castanhal, Mauá, Hermany e o da Corsan. E está previsto para acontecer nos dias 27 e 28 de outubro. Uma equipe de fora irá efetuar a limpeza. Ela ocorre de uma forma que fique menor tempo sem abastecer a população mas tem um período que sim, você tem que esvaziar o reservatório, faz a limpeza, até ele encher novamente pra voltar. Então vão ser dois dias que a gente vai ter sim essa instabilidade mas é, anualmente a corsan faz essas limpezas de todos os reservatórios no estado.

Autor: Rádio Cidade Ibirubá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *