Coluna Prof Jaqueline – Entendendo melhor a Neuroplasticidade – Parte final

A linguagem é um exemplo da capacidade plástica cerebral nos primeiros cinco anos de vida e:

Nas crianças com autismo, quanto mais cedo começarmos a intervenção melhor conseguiremos capitalizar a tremenda plasticidade e capacidade de aprendizagem durante os primeiros meses de vida. Quanto mais progressos a criança com autismo fizer nos anos pré-escolares, menos incapacidades terá mais tarde. Rogers et al., (2015, p. 44)

Para aprender o cérebro precisa ser estimulado e desafiado, ou seja, sair da sua zona de conforto. Gaiato (2018, p.81), afirma que:

Então, para estimular qualquer criança com desenvolvimento típico ou atípico a fazer ou aprender coisas novas, será preciso sair um pouco da zona de conforto, de uma forma que ela consiga aceitar e não seja excessivamente intenso. Esse é o segredo.

Na intervenção precoce é usado o ABA Naturalista, em que o programa é colocado no ambiente natural da criança, com brincadeiras e atividades que sejam capazes de engajar a criança, motivando-a a seguir os comandos, interagir e brincar para alcançar os objetivos propostos.

Segundo Rogers et al., (2015, p. 54): “A intervenção precoce em crianças pequenas com autismo pode melhorar as capacidades de aprendizagem, de brincadeiras, de comunicação e sociais. Pode também ajudar com os outros problemas de comportamento, tais como birras e agressão”.

Assim, a criança aprende a interagir com o outro, amplia seu repertório de comunicação e socialização quando estimulada diariamente, na clínica, na escola e continuadamente em casa.

Se uma criança típica precisa de estímulo diariamente e geralmente isso acontece de forma natural na interação com outras crianças e familiares, por exemplo, em uma criança com TEA ou outro atraso no desenvolvimento, isso não vai acontecer espontaneamente dada a sua limitação em interagir com o outro, dificultando o seu desenvolvimento global. Para que isso aconteça, é preciso terapias que a ajudem a desenvolver tais habilidades, como aquelas baseadas na ciência ABA- Análise do Comportamento Aplicada, além de muita estimulação extra nas atividades com a família e na escola.

Autor: Rádio Cidade Ibirubá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *