BRUCE DICKINSON DE SEUS MÚLTIPLOS TALENTOS

Paul Bruce Dickinson, mais conhecido como Bruce Dickinson, é um dos maiores exemplos de multitalentos e de que, às vezes, colocamos empecilhos de procrastinamos em muitos aspectos de nossa vida mas que, com coração, o tempo é só um detalhe.  

Esse homem é um professor universitário, que dá aulas em cursos de economia, história e gestão. E é doutor em música. Além disso, é mestre em História. Também é piloto de avião, onde fez, por muitos anos, a linha comercial Paris-Londres, sendo piloto de boing e instrutor de voo. E assim procedeu até ter sua própria empresa de aviação.  

Além disso, é mestre cervejeiro e possui uma rede de cervejarias no Reino Unido.  

É atleta e chegou a disputar as Olimpíadas de Seul, 1988, na esgrima.  

Também é escritor e roteirista, tendo como trabalho de destaque o filme Chemical Wedding, baseado em um disco de sua autoria, que leva o mesmo nome e  está baseado em uma série de manuscritos espiritualistas do Século XVII, com ênfase no “Núpcias Alquímicas de Christian Rosenkreutz”, que fala de um casamento. Em alegoria, nesta núpcia, alma humana seria a noiva e Deus o noivo. O personagem principal deste filme não é nada menos do que o ocultista inglês Aleister Crowley (sobre o qual falarei na semana que vem).  

E muitas vezes nos vemos pensando como ele consegue fazer tudo isso. Mas a principal atividade dele consome mais tempo ainda. Ele é músico e é só o vocalista da maior banda de Heavy Metal do mundo, o Iron Maiden. Ao entrar na banda, em 1982, ele foi selecionado quando era membro da Banda Samsom, tendo o curioso apelido de “Sirene de Ataque Aéreo”, devido ao alcance vocal. Seu primeiro disco na banda (a única exigência que fez foi não cortar o cabelo) foi o clássico “Number of The Beast”. Depois vieram outros discos e em 1992 o “Fear Of The Dark” consolidou o crescimento da banda. Em 1994 saiu do Iron Maiden, tendo substituto Blaze Bayley, que venceu um concurso que teve como finalista o brasileiro André Mattos. Teve então sua marcante carreira solo, recheada de músicas místicas e conceituais. 

No entanto, em 1999, a pedido dos fãs, Bruce volta ao Iron para gravar o “Brave New World”, marcando uma nova fase do Iron Maiden. Segue na banda até hoje.  

Finalizando, entre as curiosidades na produção do Maiden, está a que Bruce exige tempo para pesquisas históricas e desde 1982 há uma cláusula de trabalho do Iron Maiden que prevê que os membros do grupo não podem usar drogas em hipótese alguma, sob pena de expulsão do grupo. 

Bruce Dickinson também venceu um câncer. Um exemplo de vida e dedicação.  

Autor: Rádio Cidade Ibirubá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *