Academia Ibirubense de Letras será fundada no mês de julho

Um marco para a história de Ibirubá. No dia 26 de julho será fundada no município a Academia Ibirubense de Letras, uma iniciativa que busca valorizar os escritores que vivem por aqui e também, divulgar e incentivar a cultura e a literatura.

A ideia foi idealizada pelo responsável pela Biblioteca Municipal Jorge Ferreira e pelo jornalista do Jornal o Alto Jacuí e Rádio Cidade, Fernando Kopper. 

No dia 26 será realizada uma assembleia de fundação. O estatuto da academia foi criado com base na Academia de Letras de Cruz Alta e de Passo Fundo.

Olhamos o que se encaixava na nossa cultura e elaboramos o nosso. Vimos a necessidade de incentivar escritores”, destaca Jorge que já tem uma coletânea de poesias escritas na Acadêmia de Letras de Cruz Alta.

A academia também poderá homenagear personalidades, órgãos e entidades que tenham prestado serviços relevantes à comunidade.

Além disso, está previsto no Estatuto a publicação de coletâneas impressas da entidade, mediante acordos, patrocínios e incentivos fiscais do governo.

Quadro social 

O quadro social da Academia Ibirubense de Letras será constituído de escritores 

nascidos ou vinculados ao município de Ibirubá, engajados na produção literária e no desenvolvimento de atividades culturais e literárias, comprometidos com as finalidades estatutárias e regimentais da AIL.

Como é o caso do jornalista Fernando e de Jorge, que já possuem obras publicadas. 

Serão 30 Acadêmicos Efetivos (Patronos), destes, 18 (dezoito) Acadêmicos Fundadores, cada um ocupando um ocupa uma cadeira, mais os Acadêmicos Honorários e os Acadêmicos Correspondentes.

Como ter uma cadeira 

Para concorrer ao preenchimento da Cadeira vaga na Academia Ibirubense de Letras, o candidato deverá ter obra original, publicada ou não, ter participado de publicações com trabalhos de significativo valor literário, cultural, científico ou religioso.

Além disso é necessário ser maior de 18 anos, ter reputação ilibada e manter residência habitual ou vínculo reconhecido com o município de Ibirubá.

Papel da biblioteca municipal 

Para escrever é necessário ler, para isso o município conta com o importante papel da Biblioteca Municipal. Amante da leitura e com um livro escrito, Fernando lembra que quando chegou em Ibirubá em 2014 a primeira coisa que fez foi buscar a biblioteca.

Foi a partir desse contato que Fernando descobriu que os seus familiares mais antigos já haviam passado por Ibirubá e resolveu pesquisar mais sobre a árvore genealógica da família.

“O primeiro livro que loquei na biblioteca foi sobre a Olga Benário, judia que foi entregue ao partido Nazista durante o governo de Getúlio Vargas. Nessa época eu também dava aula na Sobeni e em uma visita no museu com as turmas, um aluno viu meu nome em uma doação ao museu. A partir daí fui descobrindo e juntando informações sobre meus familiares. Foi tanto conteúdo físico que acabei publicando um livro”, conta.

A história de Fernando com a leitura e a escrita é um exemplo de como é possível colocar no papel diferentes ideias e histórias e ter sua própria obra eternizada. 

Jorge lembra que para escrever um livro não existe uma receita certa e um segredo, basta em primeiro lugar tirar um tempo para colocar no papel o que se passa na mente.

Segundo ele, que tem sua vida dedicada à literatura, é mais fácil a escrita de contos e poesias. Pois são livres, podem ser resumidas em uma frase ou até duas páginas.

A poesia expressa um sentimento, algo para refletir”, observa. A riqueza de lendas e contos que existem em Ibirubá serviriam de bons enredos para histórias. Mas para isso muitas vezes é necessário pesquisas, coleta de dados e materiais. “Um livro não é para tornar uma pessoa rica, é para eternizar uma história, um conto”, afirma Jorge. 

Associação de Amigos da Biblioteca 

O responsável pela Biblioteca Municipal também trabalha na criação da Associação de Amigos da Biblioteca, para buscar mais incentivos e recursos para manter os trabalhos da biblioteca.

O poder público mantém a biblioteca, por isso não podemos buscar recursos. Mas a partir de uma associação, com uma diretoria, um CNPJ, é possível realizar ações”, explica Jorge.

As ações irão buscar não só manter a estrutura e o acervo da biblioteca, mas também promover momentos de incentivo a cultura, a dança e a música. 

Author: Rádio Cidade Ibirubá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *